Papa emite mensagem aos brasileiros pelo dia de Nossa Senhora Aparecida

A mensagem do Papa Francisco foi gravada no intervalo matutino da 7ª Congregação Geral no âmbito dos trabalhos do Sínodo dos Bispos para a Amazônia.

“No dia de Nossa Senhora Aparecida, trago no coração o povo brasileiro e envio uma saudação. Que Ela, pequenina e humilde, continue os cobrindo e acompanhando em seu caminho: caminho de paz, de alegria, de justiça. Que Ela os acompanhe em suas dores, quando não podem crescer por tantas limitações políticas ou sociais ou ecológicas, e de tantos lugares provêm. Que Ela os ajude a crescer e a se libertar continuamente. Que os abençoe”. Esta foi a mensagem enviada pelo Papa Francisco no dia 12 de outubro, Dia da Padroeira do Brasil, a todos os brasileiros.

A mensagem foi gravada no último sábado (12/10), no intervalo matutino da 7ª Congregação Geral no âmbito dos trabalhos do Sínodo dos Bispos para a Amazônia, encontro presidido pelo Papa, para discussão de temas gerais da Igreja Católica.
Para ouvi-la, clique aqui.

Dando início aos trabalhos do último sábado, foi lida a carta de dom Sérgio Eduardo Castriani, arcebispo de Manaus, na oração da Hora Média. O sacerdote, que não pôde comparecer na ocasião por motivos de saúde, foi representado pela leitura de sua carta na voz de dom José Albuquerque de Araújo, bispo-auxiliar de Manaus.

Falando sobre Nossa Senhora, dom Sérigio refletiu que os brasileiros, em sua maioria, são marianos e isto faz a diferença. “Rezamos o rosário, a oração dos pobres que não necessitam livros, nem roupas especiais, nem rituais, mas simplesmente rezar a oração que Jesus nos ensinou e saudar Maria com a primeira saudação na qual seu filho é reconhecido como Senhor”, disse dom Sérgio em sua carta.

Na conclusão de seu texto, dom Sérgio pede que a Mãe de Jesus, frágil como as mulheres amazônicas, em sua opinião, mas uma fragilidade aparente que se transforma em força gigantesca quando se trata de defender a vida, proteja a todos da tentação de fazer da Amazônia uma terra de ganho e lucro, transformando o dom em mercadoria. “Que a Igreja com suas mulheres reconhecidas na sua ministerialidade seja sempre uma mãe que cura e que liberta. Mãe Aparecida, rogai por nós”, clamou o arcebispo de Manaus.

 

Crédito da imagem: Pastoral Maranata

Amex Assessoria